| |


Ficção Científica - 2021.05.05
05-05-2021
A Fundação Rui Cunha e a Associação Amigos do Livro em Macau realizarão no próximo dia 5 de Maio, pelas 18:30, na sede da Fundação, mais uma sessão das conversas sobre o livro, desta feita dedicada à literatura de ficção científica.

Ficção Científica o que é?
Um género literário relevante no panorama da literatura contemporânea que lida de mãos dadas com a ciência, tanto real quanto imaginada, refletindo sobre o impacto da ciência e da tecnologia na vida humana?

Ou apenas uma literatura menor de histórias especulativas?
A Fundação Rui Cunha e a Associação dos Amigos do Livro em Macau associam-se nesta iniciativa cultural de apresentar uma área da literatura pouco abordada no panorama literário de Macau.

Como palestrantes contaremos com a participação dos Doutores André Antunes, cientista em Geomicrobiologia e Astrobiologia, Marta Filipa Simões, cientista em Astrobiologia e Engenharia Química e Biológica, e Pedro D’Alte, professor e ensaísta de literatura.

A moderação ficará a cargo de Rui Rocha, Presidente da Associação dos Amigos do Livro em Macau.
A sessão será realizada em português.
Contamos com a presença de todos!

Entrada Livre!
Não Perca!
Por Macau, Mais e Melhor!


Leitura encenada do Livro "Os Espíritos" - 2021.04.29
29-04-2021
A Fundação Rui Cunha e a Associação Amigos do Livro em Macau realizarão no próximo dia 29 de Abril, pelas 18:30, na sede da Fundação, uma leitura encenada do Livro Espíritos”.
Espíritos é um romance de Shee Va com a chancela de Livros do Oriente centrando-se sobre as gentes de Macau que deambulam pelas ruas da cidade, habitando as suas casas, vivas ou mortas.
A história gira à volta de um casal, Júlio e Mei Ling os quais, após a perda do filho de seis anos de idade, vivem com uma culpa permanente, pois a criança sofria de uma doença hereditária grave.
Ao tentarem ter outro filho decidem recorrer aos avanços da Medicina e ao espírito de uma velha desconhecida que visitou a criança no dia do seu falecimento.
No 9o Aniversário da Fundação Rui Cunha, numa sessão especial da rúbrica “Conversas sobre o livro” iremos ler, em conjunto e de uma forma especial, este livro, o qual divulga, em jeito de romance, as tradições chinesas e o seu olhar sobre o oculto que o ocidente não conhece.
Com a narração de Filipa Guadalupe, Shee Va, Chau Wai Fong, Cheang Sin Hou, Fatima Gomes e Liliana Pires darão vida a algumas das personagens do livro.
Contamos com a presença de todos, dia 29 de Abril, pelas 18:30h.
A sessão será realizada em língua portuguesa com alguns dos diálogos em cantonês.
Entrada Livre!
Não Perca!
Por Macau, Mais e Melhor!


Financial Hub - MB TV Debates - 2021.04.27
27-04-2021
A Fundação Rui Cunha e a MBtv Debates realizarão, no próximo dia 27 de Abril, pelas 18h30 horas, uma conferência intitulada Financial Hub: Wishful thinking or the definite driver of diversification? Inserida no ciclo Business Series da MBtv.
Diversificar a economia de Macau, é desde há muito, um dos maiores desideratos do poder político do território. Tornar Macau conhecido como um centro financeiro dentro da Grande Baía, será apenas um desejo ou o tão almejado motor para a diversificação?
Num tempo de enormes desafios económicos, a indústria financeira de Macau pondera, cada vez mais, novos caminhos com vista à sua expansão e diversificação.
Mercado de capitais, mercado de obrigações, moeda digital, tecnologia financeira (Fintech), Gestão de património de forma eficiente e Hengqin são as palavras-chave para o dealbar desta nova indústria na RAEM.
No auditório da Fundação Rui Cunha, teremos os oradores: Sam Tou, Director Executivo, Banco Nacional Ultramarino, António Félix Pontes, Representante para Macau da Greater Bay Area Impact Forum Foundation e Jacky Y. C. SO, Professor, Director da Faculdade de Gestão e Vice-reitor da Universidade de Ciência e Tecnologia, numa sessão moderada por José Carlos Matias e Nelson Moura.
Financial Hub: Wishful thinking or the definite driver of diversification? É o que a MBtv se propõe debater, terça-feira, 27 de Abril, pelas 18h30 horas, no auditório da Fundação Rui Cunha, numa parceria entre a Fundação Rui Cunha e a Macau-Associação Internacional de Conferências e Convenções.
Esta conferência será transmitida em directo na página da FRC no Facebook, e na página da MBtv no Facebook.
A sessão será realizada em língua inglesa.
Caso não consiga assistir ao vivo e pretenda participar na parte de perguntas e respostas, por favor registe-se no zoom webinar, através do link https://zoom.us/webinar/register/WN_N93oeB0UQkmJumR4ggRu3Q

A Entrada é livre
Contamos consigo!
Por Macau, mais e melhor!


Link para inscrição na plataforma zoom:
https://zoom.us/webinar/register/WN_N93oeB0UQkmJumR4ggRu3Q


Macau na obra de Miguel Real e João Morgado - 2021.04.26
26-04-2021
A Fundação Rui Cunha e a Associação dos Amigos do Livro de Macau realizarão no próximo dia 26 de Abril, pelas 18h30, na sede da Fundação Rui Cunha, uma conferência intitulada “Macau na obra de Miguel Real e João Morgado”.
Inserida no programa comemorativo dos nove anos da Fundação Rui Cunha, “Macau na obra de Miguel Real e João Morgado” integra um ciclo de eventos especiais dedicados a Macau, onde procuramos mostrar a multiplicidade de olhares sobre esta cidade e a forma como os mesmos se refletem, no caso concreto, na literatura, dando origem a diversas obras.
Em Contos de Macau, João Morgado, compila um vasto conjunto de contos (criados a partir do material recolhido aquando da sua estada em Macau, em 2017), os quais poderíamos designar por lirismo em estado puro, animado de uma prosa poética, que diferencia este livro dos seus romances históricos.
Lirismo em estado puro porque aqui detetamos, sob e sobre um realismo social, que identifica e singulariza Macau (geografia, tradição, história do século XX, grupos sociais diferenciados, sobretudos os portugueses e os chineses), uma prosa poética que valoriza mais os sentimentos que a racionalidade, mais o voo da imaginação que a descrição fotográfica da realidade, mais a heterodoxia e a rebeldia do que a hierarquia social e, sem desprezar o elemento masculino, valoriza sobretudo os desejos e os anseios do elemento feminino.
Em A Cidade do Fim, uma obra fruto de uma rigorosa investigação histórica que celebra os 500 anos de relações entre Portugal e a China, Miguel Real decide relatar num romance de amor a história de Macau a par de uma biografia ficcionada de Fátimo Martins, Professor de Português radicado em Macau em 1941- e nenhuma das duas está isenta de improbabilidade, escândalo, surpresa e mesmo violência. A Cidade do Fim é, pois, a homenagem de Fátimo (o protagonista) à sua língua natal, à pátria que o adoptou e, claro, à pequena flor de lótus que fez desabrochar.
Estas e outras histórias constituirão o mote para uma sessão protagonizada pelos dois autores, onde o publico presente também participará através das suas questões e/ou comentários.
Esta sessão será apresentada por Ana Paula Dias e será integralmente realizada em língua portuguesa.
A entrada é livre.
Contamos com a presença de todos.
Por Macau mais e Melhor.


Aula Magna sobre Educação e Património – 2021.04.21
21-04-2021
Reinventar a escola, a educação e a aprendizagem é uma das principais urgências da contemporaneidade. Pensar a escola, a sua direção, o seu passado e futuro, a infância, a juventude, o sonho, o professor, o encarregado de educação, a cantina, o aluno, o tempo, a mochila, o uniforme, o sapato, a máscara, os testes, e, simultaneamente, as transformações do mundo, da liberdade, do movimento, do trabalho e, com todos estes aspectos em mente, imaginar outra escola é um exercício crítico, ético, criativo e talvez utópico. Transformá-la no contexto de uma comunidade educativa específica é um exercício político. Este programa convida no seu conjunto a uma reflexão sobre a criança, o homem e o planeta, a partir de obras de arte contemporâneas. Pensar a escola é também pensar a criança, mas é sobretudo cuidar dela.
Esta conferência, em particular, é um espaço de reflexão sobre a importância da arte na educação, em todas as suas vertentes

Link para inscrição na plataforma zoom:
https://zoom.us/webinar/register/WN_oUd0byqzQ2KQe-6qXGnqvg

Guilherme d’Oliveira Martins
“Não é apenas o passado que importa, mas sim uma responsabilidade presente que renova e actualiza a fidelidade à herança recebida”


Aula Magna sobre Arte e Educação – 2021.04.19
19-04-2021
Reinventar a escola, a educação e a aprendizagem é uma das principais urgências da contemporaneidade. Pensar a escola, a sua direção, o seu passado e futuro, a infância, a juventude, o sonho, o professor, o encarregado de educação, a cantina, o aluno, o tempo, a mochila, o uniforme, o sapato, a máscara, os testes, e, simultaneamente, as transformações do mundo, da liberdade, do movimento, do trabalho e, com todos estes aspectos em mente, imaginar outra escola é um exercício crítico, ético, criativo e talvez utópico. Transformá-la no contexto de uma comunidade educativa específica é um exercício político. Este programa convida no seu conjunto a uma reflexão sobre a criança, o homem e o planeta, a partir de obras de arte contemporâneas. Pensar a escola é também pensar a criança, mas é sobretudo cuidar dela.
Esta conferência, em particular, é um espaço de reflexão sobre a importância da arte na educação, em todas as suas vertentes.

Link para inscrição na plataforma zoom:
https://zoom.us/webinar/register/WN_gjEI9zyNSiySzhxkN2loiQ

Laborinho Lucio
“Não posso mais dizer que tenho uma Escola igual para todos porque não tenho todos iguais para a Escola. (…) E como tenho uma Escola igual para todos e aplico essa Escola a todos, a desigualdade que está na base vai acentuar-se ainda mais. O que tenho de ter é uma Escola que se habitue a trabalhar a diversidade”.


O Comedor de Nuvens - 2020.04.15
15-04-2021
A Fundação Rui Cunha acolherá na próxima quinta-feira, dia 15 de Abril, pelas 18h30, a apresentação do livro “O Comedor de Nuvens, uma obra com textos de Carlos Morais José, profusamente ilustrada com fotografias de azulejos da autoria de Ana Jacinto Nunes e com a chancela da editora COD.

Na abertura do volume, lê-se o seguinte parágrafo:

"Aprendi em terras do Oriente, para lá dos Himalaias, um costume de despojamento em solidão de montanhas. Uma imersão ascensional em espaços desabitados, onde a única voz presente aspira ao silêncio e, nesse movimento, devir mestra do vazio. É, pois, sobre vales enevoados que os homens descobrem o irreprimível riso da consciência. Repastos de neblina, embriaguez de brumas, banquetes de nevoeiro. As nuvens são a sua droga e alimento. Delas extraem a beleza primeva do mundo e nelas redimem o sentido parco da vida. No centro de cada um de nós, perdura uma dessas montanhas. Há que percorrê-la e habitá-la. Nenhuma outra viagem será preenchida de tão imponderáveis e fascinantes aventuras."

Esta obra será apresentada por Sara Augusto.

A sessão será realizada em língua portuguesa com entrada livre.

Contamos com a presença de todos.

Por Macau, mais e melhor!


Macau no Cinema . Diago – 2021.04.13
13-04-2021
A Fundação Rui Cunha apresenta na próxima terça-feira, dia 13 de Abril às 18:30, o segundo de uma série de nove filmes, sob o tema Macau no Cinema, com a projecção do filme cantonês “Diago” (2010) – “Ao Ge” no original –, realizado por Chi Zhang.
O filme é uma adaptação cinematográfica do romance da escritora macaense Lio Chi Heng. A trama de “Diago” desenrola-se em 1999, altura em que a televisão de Macau informava em permanência a população sobre todos os preparativos da transferência de Macau para a China.
Envolto pela atmosfera de uma sociedade em mudança, o protagonista inicia uma investigação acerca da sua própria identidade, pessoal e social, no limiar da vida pós-administração portuguesa. Em longas e austeras sequências imbuídas de melancolia, a narração capta sentimentos de despossessão, mas também oferece esperança, um elemento inelutável em qualquer busca.
No ano em que a Fundação Rui Cunha celebra o seu 9º Aniversário, Macau é o mote para um conjunto diversificado de eventos, onde procuraremos proporcionar a todo o público olhares diferentes sobre a cidade que nos une.
Em Macau no cinema, viajaremos desde os idos anos 50 do século passado, até à moderna e vibrante RAEM dos nossos dias, documentando não apenas um Macau histórico, mas sobretudo recriando o imaginário sobre esta terra tão singular e desvendando a pluralidade de olhares que sempre suscitou.
Esta segunda sessão de cinema terá lugar na Galeria da FRC, quando forem 19:00, sendo precedida de uma pequena apresentação, em português e chinês, a cargo de Rui Rocha e da autora do livro Lio Chi Heng, às 18:30. As portas da sala abrem às 18:00. A entrada é livre, mas sujeita a limitação de lugares.
O filme é falado em cantonês, com legendas em inglês.
Interdito a menores de 13 anos (Grupo C).

Não perca!

EM ABRIL, CELEBRE CONNOSCO
Por Macau, Mais e Melhor!


A Paisagem Linguística da Cidade - 2020.04.12
12-04-2021
A Fundação Rui Cunha e a Associação dos Amigos do Livro de Macau realizam na próxima segunda-feira, dia 12 de Abril, pelas 18:30, na Galeria da Fundação Rui Cunha, uma conferência intitulada “A Paisagem Linguística da Cidade”, a cargo do orador Rui Rocha, presidente da Associação dos Amigos do Livros de Macau.

A paisagem linguística de qualquer cidade é interessante, se analisada no âmbito do seu contexto multilinguístico e multicultural, que nos revela muito sobre a cultura e a história das pessoas, os seus limites “geográficos” dentro da cidade, mostrando-nos também qual o valor simbólico que as pessoas e instituições atribuem ao estatuto e função das línguas em presença nesse mesmo espaço.

Tentar descodificar o que a escrita na cidade nos conta, através do conjunto de formas ou modos de comunicação pública disponíveis no espaço público, é, afinal, tentar compreender a “alma” da cidade.

Inserida no programa comemorativo do 9º Aniversário da Fundação Rui Cunha, “A Paisagem Linguística da Cidade” integra um ciclo de eventos especiais dedicados a Macau, através dos quais percorreremos um pouco mais da sua história, do seu cinema, da sua literatura e das suas tradições.

Esta sessão será realizada em língua portuguesa, com interpretação simultânea para cantonês.

A entrada é livre.

Não perca!

EM ABRIL, CELEBRE CONNOSCO

Por Macau, Mais e Melhor!


Covid19 - O Bom, o Mau e o Vilão - 2021.03.31
31-03-2021
A Fundação Rui Cunha e a Associação de Cardiologia de Macau organizam no próximo dia 31 de Março, quarta-feira, às 18h30, na Fundação Rui Cunha, uma conferência subordinada ao tema Covid19.

Com o título “Covid19 O Bom, o Mau e o Vilão”, a sessão terá como orador o Pneumologista e Coordenador do Gabinete de Crise Covid19 da ordem dos Médicos de Portugal, Prof. Doutor Filipe Froes.

Após mais de um ano desde o início de um longo e inimaginável período de confinamento forçado, limitações draconianas aos movimentos de circulação, pressões nunca antes vistas sobre os mais variados serviços nacionais de saúde, um número incalculável de perda de vidas e uma crise económica global ainda a começar, o mundo chega ao fim do primeiro trimestre de 2021, com a hercúlea tarefa da vacinação de toda a sua população.

Cautelosamente, cada país vai desenhando os seus próprios planos de desconfinamento, de forma a conseguir vacinar o maior número possível de pessoas, fazendo por essa via regressar o tão almejado novo normal e devolvendo vida à economia.

Em Macau, onde não se regista qualquer caso de infecção por Covid19 há quase um ano e onde a vacinação corre a bom ritmo desde Fevereiro, o território persiste na manutenção das tradicionais medidas de distanciamento social, uso de máscara e quarentena obrigatória de 21 dias para todos os residentes que regressem, oriundos de países estrangeiros.

Perante todo este cenário, a grande questão que se coloca no momento, para além do imperativo sanitário que a todos deveria impelir à toma da vacina, é sem dúvida saber, para quando a tão desejada imunidade de grupo e com ela o regresso da liberdade ao trabalho, à educação, à cultura e ao lazer.

Como será o futuro próximo? Quanto tempo demoraremos até atingirmos uma vacinação à escala global? Qual a durabilidade da imunidade conferida pela vacina? Quais os riscos de transmissibilidade da doença pós vacinação? No fundo, como viverá o mundo no próximo ano?

Estas e muitas outras questões serão abordadas pelo nosso orador convidado.

A conferência contará, igualmente, com a participação do Dr. Mário Évora, cardiologista e Presidente da Associação de Cardiologia de Macau e da Dra. Mónica Pon, médica internista.

A sessão será moderada por Filipa Guadalupe, Directora CRED-DM/Fundação Rui Cunha.

Covid19 O Bom, o Mau e o Vilão, será realizado em português com interpretação simultânea para cantonês.

A Entrada é livre.

O Professor Filipe Froes, participará via zoom e a sessão, para além de presencial, será, igualmente, transmitida live via Facebook – página Fundação Rui Cunha.

São todos muito bem-vindos àquele que é sem dúvida o tema da actualidade e que a todos nos atinge.

Contamos consigo!

Por Macau, mais e Melhor!
CONSULTE TODOS OS DESTAQUES
Agenda Jurídica 2021
Site by omsite.com